Book Creator

Nutrição e fotomorfogênese em sementes de feijão

by Renata Rufino Nunes

Cover

Loading...
NUTRIÇÃO E FOTOMORFOGÊNESE EM SEMENTES DE FEIJÃO
Loading...
Loading...
Autores: Denilson Rodrigues e Renata Rufino
INTRODUÇÃO
O ciclo de vida das plantas pode ser dividido de acordo com as fases de crescimento delas. A divisão mais simples é entre a fase vegetativa e reprodutiva da planta. Na fase vegetativa podemos dizer que as plantas são “jovens”: elas ainda não atingiram a maturidade reprodutiva, mas estão se preparando para ela, produzindo folhas e raízes. A nutrição das plantas envolve a absorção de todos os materiais brutos do ambiente necessários para os processos bioquímicos essenciais à distribuição desses materiais dentro da planta e à sua utilização no metabolismo e crescimento. 

A luz é um importante fator que controla o crescimento e o desenvolvimento da planta. A principal razão para isso é claro, é que a luz é responsável pela fotossíntese. Porém, outros efeitos da luz sobre o desenvolvimento da planta e que são completamente independentes da fotossíntese, também ocorrem. Muitos desses efeitos controlam a aparência da planta, isto é, o seu desenvolvimento estrutural ou morfogênese. O controle da morfogênese pela luz é conhecido como FOTOMORFOGÊNESE
OBJETIVOS

- Identificar os principais efeitos da presença e da ausência de alguns nutrientes na nutrição da planta e a sua participação no desenvolvimento dela.

- Avaliar o efeito da luz sobre o desenvolvimento de plântulas de  feijão
METODOLOGIA
Para o desenvolvimento deste experimento, utilizamos quarenta sementes de feijão. Distribuímos as sementes em quatro vasos: dois em terra preta e dois em areia lavada. Os vasos foram colocados em diferentes disponibilidades de luz: um vaso com terra preta e um com areia lavada foram colocados no escuro, e um com terra preta e um com areia lavada foram colocados na luz. Monitoramos o desenvolvimento das plantas de dois em dois dias, durante 24 dias. Durante esses dias, fotografamos cada um dos potes e anotamos as medidas das plântulas, da base da terra até o meristema apical.
RESULTADOS E DISCUSSÃO
Depois de obter todas as análises, poderemos notar diferenças morfológicas e sintomas referentes a comprometimento nutricional.

Os diferentes substratos influenciaram significativamente as características   altura   da  planta, largura   da   planta, longitude   do caule, diâmetro do caule, comprimento da folha e largura da folha.  
Imagem 1: nutrição de sementes de feijão em terra preta e areia lavada
Fonte: elaboração dos autores
Terra lavada luz
O experimento terra lavada cultivado na luz, mostrou-se ter uma germinação de 60% das sementes plantadas, padrão esse igual o da terra preta Luz e terra preta escuro ambas com 60% de germinação e superior ao experimento areia lavada escuro que não obteve germinação.
Os contrapontos estão na fase de desenvolvimento da plântula onde, a  areia lavada   é   um substrato pobre  em  nutrientes e  com  baixa capacidade de retenção de  água ,substratos  que possuem  esta  característica, podem   provocar um   estresse   hídrico  na planta, interrompendo  o fluxo de  nutrientes e possibilitando o aumento
da concentração de  sais  no substrato  o  que poderá  exercer um  efeito tóxico,  ou  ainda a  retirada  de água da  muda  formada, alterando  assim  o desenvolvimento da planta Como visto no experimento. As plantas observadas tinham uma média de 5, 9 centímetros no dia 24 bem inferior
á aquelas colocadas sobre a luz semeada na terra preta com média 15, 3. Outras características foram notadas, como folhas em forma de espiral    amareladas e dificuldade dos  cotilédones se desprender da plântula. 

Terra preta luz e escuro
proporcionar um ambiente dotado de substâncias nutritivas propícias para o crescimento das plantas, fornecendo boa parte do que é necessário para seu desenvolvimento. Ou seja, é o composto que tem por efeito estimular o crescimento das plantas e promover o seu enraizamento. É o impulso de energia. Além disso, melhora a umidade e aeração do solo, graças à capacidade de absorção de água, ajudando as raízes respirem melhor e a se enraizar mais profundamente.
PrevNext