Book Creator

Uma Aventura Transformadora

by Turma 7ºA

Pages 4 and 5 of 42

Agrupamento de Escolas da Quinta do Conde
Escola Básica Integrada da Quinta do Conde
Uma Aventura Transformadora
7.º A
Comic Panel 1
Ficha Técnica

1.º projeto desenvolvido no âmbito de CTA/DAC
Uma Aventura Transformadora
Ano letivo: 2020/2021
Alunos:

Afonso Carvalho; Afonso Santos; Beatriz Martins; Beatriz Burgos Martins; Cátia Varela; Cláudia Ribeiro; Diana Martins; Diana Anes; Diogo Correia; Diogo Mendes; Eduardo Palma; Fabiana Sebastião; Guilherme Rodrigues; Inês Nascimento; Irina Lopes; Jaime Mesquita; João Conceição; João Teixeira; Leonardo Bonadio; Lucas Pereira; Mariana Marques; Mariana Ramos; Martim Esteves; Rafael Fernandes; Rafael Matos; Santiago Silva; Soraia Santos
Comic Panel 2
Comic Panel 3
Professores:

Bertenea Henriques (Físico-Química);
Cristina Queiroz (Português e Francês);
Elsa Caeiro (Matemática);
Fernando Apolinário (EMRC);
Patrícia Rodrigues (Ciências Naturais);
Teresa Pereira (Educação Física);
Fátima Barros e Florinda Caxias (CTA/DAC)
Data selecionada: 14/8/1385
Expressões numéricas:
Loading...
Batalha de Aljubarrota
Loading...
Batalha de Aljubarrota onde se enfrentaram forças militares de Portugal e Castela, para disputar o trono português.
Devido à morte de D. Fernando, em 1383, Portugal depara-se com um problema de sucessão régia. D. Beatriz, sua única filha, iria sucedê-lo no trono, porém, era esposa de D. João I, rei de Castela. Desta forma, o rei português passaria a ser castelhano. Portugal procurava manter-se independente, impossibilitando a ascensão de um rei castelhano no país lusitano.
Destacam-se os nomes de:
- D. João Mestre de Avis, que empreendeu uma ação militar contra os homens de Castela, a meio do caminho para Leiria.
- D. Nuno Pereira Álvares, guerreiro e nobre de Portugal, que arquitetou ações de um contingente de soldados que lutou contra os castelhanos. Na batalha, foram utilizados arqueiros e besteiros que se organizavam em fileiras para derrotar os inimigos.
É conhecida pela Batalha de Santa Maria Vitória, imortalizada no Mosteiro da Batalha, mandado construir para homenagear esta vitória dos portugueses.
Loading...
Selo comemorativo (homenagem a Nuno Álvares Pereira)
Loading...
Loading...
Diogo Mendes, João Teixeira e Rafael Matos
Loading...
Data escolhida: 20/04/1500
Expressões numéricas:
Loading...
Descoberta do Brasil
A Descoberta do Brasil foi um dos momentos marcantes das grandes navegações. Foi resultado do envio, à India, de uma expedição rica e poderosa de 13 naus, com uma tripulação estimada de 1200 a 1500 homens. Esta expedição foi comandada por Pedro Álvares Cabral, que mandou uma nau retornar a Portugal, para entregar a D. Manuel, a célebre Carta de “achamento do Brasil”, redigida por Pêro Vaz de Caminha, onde descrevia a nova descoberta. 
Esta descoberta foi anunciada como acidental, mas muitos dos historiadores defendem que foi efetuado um desvio de rota, de forma intencional, pois os portugueses já possuíam conhecimento da existência de terra a ocidente.
Selo comemorativo
Mariana Ramos, Martim Esteves e Santiago Silva
Data escolhida: 1/12/1640
Expressões numéricas:
Restauração da Independência
Restauração da independência, mais uma data marcante dos momentos de luta pela independência de Portugal.
Após um período (1581- 1640) de domínio da Dinastia Filipina, que se desgastou no incumprimento de promessas e no agravamento da situação económica e social, em território nacional.
Foram muitos os levantamentos e revoltas populares, contra o domínio castelhano, em diversas regiões do país, destacando-se a Revolta do Manuelinho, em Évora, em 1637 e a prepotente governação do conde-duque de Olivares, que tomou medidas à revelia das promessas filipinas. 
Insurreições com adesão generalizada dos portugueses, tendo sido assumida a liderança do duque de Bragança, D. João, que viu nas Cortes de Lisboa de 1641, o reconhecimento da legitimidade dinástica da Casa de Bragança. 
Moeda comemorativa da Restauração da Independência
Cátia Varela e Diogo Correia
Data escolhida: 1/11/1755
Expressões numéricas:
Terramoto de Lisboa
Data do Grande Terramoto, que ocorreu há 266 anos.
No Dia de Todos os Santos, feriado religioso, pelas nove e meia, o chão começou a tremer assustadoramente e os prédios (alguns de quatro ou cinco andares) desabavam e abriam-se fendas nas ruas. Seis minutos intermináveis...Seguindo-se um tsunami que se estendeu sobre a Baixa lisboeta.
Segundo as estimativas, terão morrido em Lisboa mais de 10 mil pessoas. Não havia ainda escalas de medição de sismos, mas a avaliar pelos estragos, o abalo terá atingido o grau 9 na escala de Richter.
Quanto à localização do epicentro, julga-se que tenha sido a umas 120 milhas a sudoeste do cabo de São Vicente.
Deve-se ao Marquês de Pombal a reconstrução da cidade com ruas largas e retas e praças amplas, tal como a conhecemos hoje.
Moeda comemorativa (homenagem a Marquês de Pombal)
Eduardo Palma, Inês Nascimento e Irina Lopes
PrevNext